Voltar para as notícias

Semana da Literacia Mediática nos Estados Unidos: 10 motivos para dar importância ao tema em 2020

Outubro 28, 2019

A semana de 21 a 25 de outubro foi dedicada à Literacia Mediática nos Estados Unidos. O CIRCLE ( Center for Information & Research on Civic Learning and Engagement) desenvolveu uma parceria com a NAMLE ( National Association for Media Literacy Education) com o objetivo de fortalecer as ligações entre a voz da comunidade jovem, a Literacia Mediática e a democracia. Estas e outras instituições de New York e Detroit estiveram com alunos do ensino secundário a refletir acerca das ligações entre os media criados e consumidos por eles e a eleição de 2020.

10 ideias chave em ano de eleições:

  1. Trazer uma opinião, baseada em experiência própria e em informação fundamentada, para conversas acerca de eleições e de assuntos do público.
  2. Partilhar informação fiável com outros acerca de assuntos importantes para si, para a sua família e para os seus amigos.
  3. Avaliar as notícias de maneira a entender como a abordagem jornalística e os seus processos influenciam o que é transmitido e escrito.
  4. Encontrar e verificar informação sobre como, onde e quando votar, e criar conteúdos para partilhar esta informação com outros.
  5. Analisar anúncios e informações de candidatos políticos, especialmente nas redes sociais.
  6. Desenvolver e distribuir guias para ajudar outros a entender o voto e as eleições, ou outro assunto importante para si acerca da cédula de voto.
  7. Criar conteúdos mediáticos acerca das pessoas e das questões de um bairro ou de uma comunidade, que considera não terem sido abordados corretamente e que são importantes para a eleição.
  8. Criar conteúdos mediáticos acerca das pessoas e das questões de um bairro ou comunidade que conta com poucos meios de comunicação no local.
  9. Colaborar com um meio de comunicação para dar mais destaque e diversidade à opinião de jovens acerca da votação e de assuntos relevantes para a eleição.
  10. Documentar o envolvimento dos jovens no processo eleitoral e partilhar com os meios de comunicação, e com outros, a realidade de que os jovens estão de facto envolvidos no assunto e que a sua imagem deve ser melhor representada, especialmente a dos jovens de etnia não caucasiana.

 

Texto adaptado a partir da publicação original, apresentada abaixo.

Imagem: Pexels

 

Link para publicação