Voltar para as notícias

Distinguir desinformações: um breve guia do News Literacy Project

Janeiro 7, 2022

A desinformação na internet assume diferentes formas e o News Literacy Project propõe que se distinga entre duas delas. De acordo com a iniciativa norte-americana de educação e literacia para as notícias, importa demarcar misinformation de disinformation. Em português, ambas podem ser traduzidas por desinformação, mas há especificidades que diferenciam estas palavras e que importa assinalar.

O primeiro termo é mais genérico do que o segundo. Isto é, misinformation é particularmente apropriado para todo o tipo de informação que é “enganadora, errada ou falsa”, sobretudo quando se desconhece a sua origem e os seus propósitos. Já disinformation é uma palavra mais específica precisamente por se reconhecer os seus objetivos: ou seja, é aquilo que é “deliberadamente criado ou partilhado com a intenção de desinformar e enganar os outros, geralmente para alcançar um resultado ideológico, político ou financeiro desejado”.

Esta sucinta distinção leva o News Literacy Project a enfatizar um aspeto central na proliferação de diferentes formas de desinformação na internet: o papel de cada utilizador na partilha de boa informação. De acordo com o projeto, a misinformation “é geralmente partilhada – e por vezes criada – por pessoas que não têm consciência de que é imprecisa”. Para diminuir o risco de se contribuir para a proliferação de desinformação, o projeto recomenda diferentes passos:

  • a confirmação de fontes pouco familiares (por pesquisas, pelo acompanhamento de discussões online, etc.);
  • a atenção a sinais de perigo habituais, tais como expressões vagas e que apelam à emoção e à desconfiança (“os media não noticiariam isto”, “vamos tornar isto viral” ou “faz a tua própria pesquisa”), fotografias genéricas (de multidões, paisagens ou do próprio espaço) ou capturas de ecrãs sem um link que permita a sua confirmação.

Para organizar esta distinção entre desinformações, o News Literacy Project desenvolveu uma infografia que está agora disponível entre os recursos do MILObs.