Voltar para as notícias

Um FILM a não perder sobre a revolução digital

Novembro 20, 2018

O quarto Fórum Informal sobre Literacia Mediática (FILM) vai realizar-se ao longo de todo o dia 6 de dezembro, quinta-feira, no auditório do Conselho Nacional de Educação, em Lisboa.

O tema desta edição tem forma de pergunta “Que competências para a revolução digital?” e um painel de luxo foi desafiado a dar resposta a esta e a outras questões.

Este FILM divide-se, na realidade, em três painéis, que começam imediatamente a seguir à sessão de abertura, às 10h30, em que participarão Maria Emília Brederode Santos (CNE e GILM), João Cravinho (CNE) e Mário Mesquita (ERC).

Três “subperguntas” dentro da pergunta principal servem de mote a cada um dos painéis.

Competências digitais e mediáticas: de que falamos?” orientará o debate entre Manuel Pinto (UMinho e GILM), João Marecos (TLDR Global), António Câmara (YDreams) e Pedro Guedes de Oliveira (INCoDe.2010), a partir das 11 horas, com moderação de Rosalia Vargas (CNE).

Depois de almoço, às 14 horas, a conversa, moderada por Manuel Minguéns (CNE), tentará responder à questão “Competências digitais e mediáticas: como as trabalhamos?“, com a participação de Adelina Moura (AE Carlos Amarante), Pedro Teixeira (Happycode), Rui Marques Vieira (UAveiro) e Guilhermina Miranda (ESE).

A terceira e última mesa junta, pelas 16 horas, Manuela Silva (RBE), Maria João Horta (DGE), João Paulo Proença (AE Carlos Gargaté) e Assunção Flores (UM) em torno da questão “Competências digitais e mediáticas: com que redes?“, numa conversa moderada por Sara Pereira (UMinho e GILM).

O encerramento, às 17h45, fica a cargo de Teresa Calçada (PNL e GILM) com a intervenção intitulada “Competências digitais e mediáticas: que futuro?”.

No texto que acompanha a divulgação do evento (ver documento no final deste artigo) explica-se o que está subjacente à escolha deste tema: “a ideia de que os desafios colocados pela revolução digital exigem o domínio de um conjunto complexo de competências, englobando não apenas as ligadas ao acesso e uso da tecnologia ou à produção de novos conteúdos mas igualmente as de compreensão, avaliação e análise crítica dos conteúdos e dos seus efeitos”. Competências estas que muitas vezes não andam de mão dada: “no terreno constatamos frequentemente a dificuldade de articular a literacia digital e tecnológica com a literacia mediática e de informação”, lê-se ainda.

Às 17h30, imediatamente antes da sessão de encerramento, Margarida Toscano (RBE e GILM) e Sérgio Gomes da Silva (PCM e GILM) terão a previsivelmente complexa tarefa de sintetizar o que for debatido ao longo do dia.

O FILM é uma iniciativa do Grupo Informal de Literacia Mediática e tem entrada livre.

 

Foto: Bob May/Creative Commons