Voltar para as notícias

LMC: um Congresso a pensar no futuro

Março 10, 2019

Já aqui demos conta de que “Tecnologia, Desinformação e Ética” é o tema do V Congresso Literacia, Media e Cidadania, que se irá realizar-se nos próximos dias 3 e 4 de maio, na Universidade de Aveiro. As inscrições continuam abertas, com preços mais reduzidos até ao próximo dia 15 de março. Recordamos que o Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua (CCPFC) acreditou este Congresso na modalidade Curso de Formação (12h), sendo a acreditação válida para Educadores e Professores dos ensinos Básico e Secundário (de todos os grupos de docência), mediante a apresentação de um Relatório Individual de reflexão crítica, com base nas sessões dos dois dias de Congresso.

Ao longo dos cerca de 10 anos de atividade, o Grupo Informal sobre Literacia Mediática (GILM) funcionou como charneira de uma dinâmica que permitiu avançar com a causa da Literacia Mediática, salientando-se os Congressos Literacia, Media e Cidadania, que se assumiram como o principal fórum nacional sobre a matéria. Na verdade, as quatro edições realizadas constituíram-se como palco de debate aprofundado dos principais temas neste domínio como a formação, os novos media e as novas literacias, as redes sociais e o novo espaço público.

Nesta década, foram muitas as novidades e alterações no setor dos media e domínios afins. Algumas das mudanças consistiram num incremento de dinâmicas pré-existentes, como a crescente digitalização dos media – a consequente migração para plataformas digitais, novas formas de disponibilização e de consumo, bem como novos formatos e conteúdos – e a fragmentação das audiências. Outros fenómenos, como a desinformação, não sendo novidade, alcançaram especial importância pela dimensão que assumiram. Mas este período também foi caracterizado por ruturas. Na verdade, as nossas vidas são hoje, em grande medida, pautadas por serviços que ou não existiam ou eram ainda incipientes há cerca de 10 anos. Lembremos que os smartphones e suas aplicações tornaram-se, neste curto período histórico, ubíquos, marcando presença nas mãos, bolsos e carteiras de praticamente todas as pessoas, tornando-se uma espécie de extensão do corpo, da inteligência e da memória dos seres humanos.

Tudo leva a crer que, na próxima década, as mudanças sejam ainda mais marcantes. Atendendo às tecnologias em aperfeiçoamento é possível antecipar algumas evoluções que, quase inevitavelmente, irão transformar o modo como vivemos, como nos relacionamos, como trabalhamos, como produzimos e consumimos informação, bem como o modo como usufruímos dos nossos tempos de lazer.

Com efeito, afigura-se muito provável que tecnologias como a Realidade Virtual, a Inteligência Artificial e os wearables numa primeira fase e posteriormente novos interfaces homem-máquina (que serão colocados diretamente no sistema nervoso, no interior do corpo humano) iniciarão um processo, ainda que lento e paulatino, de alteração da natureza humana.

Mas, se as tecnologias em maturação já nos permitem antecipar evoluções extraordinárias para a próxima década, é muito provável que as inovações que não conseguimos, por ora, prever possam vir a ter um impacto ainda maior.

Continuaremos, assim, a viver tempos de mutação aceleradíssima que tanto poderão permitir verdadeiros saltos civilizacionais como poderão conduzir a resultados devastadores, consoante sejamos, enquanto comunidade, capazes ou não de adotar uma postura inteligente, crítica e ética face às novas circunstâncias.

Ora, as competências compreendidas no que se convencionou designar como Literacia para os Media constituem a chave para fazer com que estas novas tecnologias e serviços potenciem os seres humanos e não os estupidifiquem.

Neste quadro e complementando a inestimável contribuição de outras áreas do saber e da ação humana, designadamente das engenharias e da comunidade empresarial, há um papel essencial a desempenhar pelos promotores da Literacia Mediática em prol do conhecimento e compreensão destes novos serviços e tecnologias, do incremento do sentido crítico na sua utilização e na resposta às questões éticas que colocam.

Estamos, pois, perante enormes desafios para os quais todos estamos implicados!

Participar no V Congresso Literacia, Media e Cidadania é também uma forma de corresponder a tal interpelação.

O futuro deve ser inventado por todos pois é demasiado importante para ser deixado ao acaso!

Saiba mais sobre o Congresso no site oficial do V LMC.